quarta-feira, 29 de Fevereiro de 2012

terça-feira, 28 de Fevereiro de 2012

concerto de hip-hop na Es.Col.A.


domingo, 4 de Março - 16h


(download do cartaz)


Presença de:

Xôto

Dard


Rey


Aparece! Vem ajudar a Es.Col.A.

segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2012

cinema às quintas


quinta-feira, 1 de Março - 20h30 (jantar seguido de documentário)

Lúcio - Aitor Arregi e Jose Mari Goenaga, 2007 (93")
(castelhano)

"Lucio nasceu em Cascante, em Navarra no Estado espanhol, em 1931 e desde 1954 vive em Paris, activo, mantendo um centro chamado Louise Michel, onde se levam a cabo actividades culturais e solidárias.

Perito em falsificar documentos e imprimir propaganda anarquista, Lucio Urtubia foi alvo de mandatos de captura emitidos por tribunais internacionais, e inclusive pela CIA, em cinco ocasiões. A imprensa rotulava-o como o "bom bandido" ou o "Zorro Basco". Um dos episódios recriados no filme, que também inclui entrevistas e imagens da época, conta o maior golpe de Lucio, que teve lugar na década de 70. Ele conseguiu burlar o principal banco dos Estados Unidos, o First National Bank (hoje Citibank), falsificando cheques de viagem no valor de cerca de 20 milhões de Euros, causando assim uma das piores crises do banco e conseguindo financiar movimentos revolucionários por todo o mundo.

No filme ainda se recorda a colaboração de Lucio com Quico Sabaté, um dos máximos expoentes da guerrilha urbana contra Franco na Catalunha; com Eldridge Cleaver, dos Panteras Negras, e com vários grupos revolucionários da época. Também se traz à memória os encontros que manteve com André Breton, Albert Camus e Ernesto Che Guevara."

resumo da 35ª assembleia


A 35ª assembleia serviu essencialmente para dar seguimento aos trabalhos da assembleia anterior. Desta forma, focou-se bastante a questão da organização dos grupos de trabalho. Estes revestem-se de grande importância pois fomentam o trabalho autónomo e a integração de novas ideias, e também agilizam os trabalhos em assembleia.

Depois de apresentadas e aprovadas as suas funções específicas, cada grupo fez um ponto de situação do trabalho efetuado até então. Foi destacada a necessidade de compromisso e responsabilidade com as tarefas atribuídas. Duas pessoas presentes aproveitaram para mostrar a sua disponibilidade em colaborar com o grupo de comunicação, no que diz respeito à tradução e divulgação dos conteúdos do Es.Col.A.

A assembleia prosseguiu com a discussão relativa à responsabilidade dos membros e dos participantes do coletivo em questões de limpezas e manutenção dos vários espaços do Es.Col.A. A sugestão consensual foi destacar em cada assembleia voluntários para encarregarem-se da limpeza da cozinha e casas de banho, a ocorrer todos os sábados à tarde.

Em relação às novas propostas foram aprovados dois trabalhos de foto-reportagem, que serão posteriormente apresentados à comunidade do Es.Col.A. Também ficou marcada uma conversa com um membro da Associação de Pais da Escola EB1 da Fontinha, assim como a possibilidade de uma ação aquando da inauguração da remodelação do Largo da Fontinha.

espaço re-constrói


todas as terças feiras - 16h00 na primeira sala do segundo andar

carteiras tetrapack
Transforma um pacote de leite ou sumo numa bonita carteira ou num prático porta-moedas.

Para ti,para a tua mãe para oferecer a quem tu quiseres.
Traz energia e imaginação.



O Espaço Re-constrói é uma oficina de reciclagem onde em conjunto pequenos e graúdos fazem diferentes construções. Juntos vamos experimentar criar novas coisas, usando o que geralmente é considerado "lixo".

re-cicla! re-constrói! re-utiliza! re-cria!!!

sexta-feira, 24 de Fevereiro de 2012

participa na bicicletada


últimas sextas feiras do mês - 18h30 na Praça dos Leões

A Massa Crítica, ou bicicletada, é um evento global que acontece em cerca de 325 cidades por todo o mundo na última sexta-feira de cada mês, onde ciclistas, skaters, patinadores e outras pessoas com veículos movidos à propulsão humana, ocupam o seu espaço nas ruas. Os principais objetivos são divulgar a bicicleta como um meio de transporte, criar condições favoráveis para o uso deste veículo e tornar mais ecológicos e sustentáveis os sistemas de transporte de pessoas, principalmente no meio urbano.



Participa na Bicicletada da tua cidade e caso estejas pelo Porto, antes da hora de encontro, dá um salto à Es.Col.A. e experimenta as diferentes bicicletas cozinhadas na cicloficina (que se realiza todos os sábados às 17 horas).

quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2012

oficina de teatro


sexta-feira, 24 de fevereiro - 18.30

Orientada por Luís Costa, para jovens de todas as idades, terá uma duração inicial de 8 sessões. Nela se pretende, com jogos de construção de personagem, criar uma peça para apresentar à comunidade.




sextas das 18.30 às 20 horas.

jantar indiano e sessão de cinema esta quinta-feira


quinta feira, 23 de Fevereiro 21h00 (jantar seguido de filme)


Water - Deepa Mehta, 2005 (117")
(hindi e inglês, legendado em português)

"“Water”, de Deepa Mehta, é passado na Índia governada pelos britânicos, em 1938, e tem como pano de fundo a ascensão de Mahatma Gandhi e do movimento anti-colonial. Este filme é a terceira parte da Trilogia dos Elementos de Deepa Mehta – os anteriores “Fogo” (1996), sobre a intolerância sexual e “Terra” (1998) sobre o sectarismo religioso. A história começa quando, na Índia dos anos 30, Chuyia, de oito anos de idade, não é apenas uma criança casada; é já viúva. Nunca conheceu o seu marido, de 50 anos. De acordo com a tradição, Chuyia é enviada para um asilo, uma casa que acolhe viúvas. As viúvas tinham três opções segundo o costume hindú: casar-se com o irmão mais novo do marido; atirar-se junto ao corpo do marido a ser cremado no funeral, morrendo com ele ou levar uma vida de abnegação.

“Water” contém uma forte denúncia das condições a que as viúvas são expostas, sendo obrigadas, na maioria, a uma vida de recolhimento em lares. Nestes locais que as segregam, são impedidas de disfrutar do contacto com qualquer tipo de prazer, usando sempre o mesmo traje e mantendo uma postura discreta. Ainda que estejam proibidas de voltar a casar, muitas acabam por ser obrigadas a dedicar-se à prostituição, uma das poucas formas de conseguir sustentar os asilos.

No filme, o balanço é perfeito entre uma realização natural e a pureza dos personagens. É permanente o festival de cor, de emoções e de sensações e nós somos cúmplices de tudo. Mas no meio de tanta beleza a realizadora inflige o derradeiro golpe no espectador, e confirma a realidade: a tradição é forte e não é um ímpeto amoroso que vai alterar o rumo dos acontecimentos. Uma acção, por mais nobre que seja, não quebra as mentiras e a corrupção que se escondem por detrás da suposta tradição.

Nos créditos finais, ficamos a saber que após 60 anos dos acontecimentos relatados, segundo os últimos sensos, milhões de viúvas continuam a viver nestas condições arcaicas de privação social, cultural e económica dentro e fora de asilos. As questões colocadas em “Water” confundem-se com as mesmas barreiras tradicionais que impedem o cinema desta realizadora ser divulgado na Índia."



Estão todos convidados a virem assistir ao filme, confraternizar e provar alguns dos sabores da Índia, amanhã às 21 horas.

segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2012

carnaval da fontinha




O Carnaval na Fontinha,
superou as expectativas!
Desfilamos como ilustres,
por entre ruas e avenidas!

E como acontecimento que se preze,
qual primeiro-ministro, ou a volta a Portugal!
O cortejo do Es.Col.A,
teve direito a escolta policial!

Tudo correu bem!
Houve cantigas e animação...
até o Judas finou...
em alegre combustão!

Não lhe valeu de nada,
O ar sobranceiro e aprumado!
Pobre aquele que se julga ilustre
e não olha para o que está ao seu lado!

E porque o fogo purifica,
E pode iluminar a razão!
Pedimos que reflita(m)
e que mude(m) de opinião

Convidamos-vos a conhecer
Esse belo local!
Que do entulho renasceu
e se tornou algo especial!

O Es.Col.A da amizade,
do conhecimento e da solidariedade!
Onde se luta por um mundo melhor,
sem sair da nossa bela cidade!

e ninguém leva a mal



http://escoladafontinha.blogspot.com/2012/02/carnaval-na-fontinha.html

domingo, 19 de Fevereiro de 2012

carta aberta


Es.Col.A. do Alto da Fontinha
CARTA ABERTA


Face à intenção da Câmara Municipal do Porto de desalojar o projeto Es.Col.A. – Espaço Coletivo Autogestionado do Alto da Fontinha, declara-se o seguinte:


Devoluta e em degradação durante mais de cinco anos, a antiga escola do Alto da Fontinha foi ocupada a 10 de abril de 2011 com o propósito de devolver ao bairro o espaço público abandonado. O gesto desde logo atraiu simpatizantes e reuniu um grupo crescente de voluntários/as, movidos/as pela ideia de criar um projeto de dinamização social e cultural, autónomo de subsidios financeiros, autogestionado, construído com e para a população local.

O equipamento começou a ser recuperado e iniciaram-se atividades várias. Um mês depois, a 10 de maio, um enorme dispositivo policial despejou, violentamente e sem prévio aviso, o que começava a ser um projeto comunitário. A mando da autarquia, o edíficio voltou a ser emparedado e assim permaneceu mais de dois meses, até que, perante uma forte mobilização popular, a Câmara Municipal do Porto se comprometeu a ceder o equipamento ao Es.Col.A, começando por assinar, a 25 de julho, um contrato de promessa, que, 40 dias úteis depois, deveria dar lugar a um contrato de cedência.

O projeto regressou então ao edifício da ex-escola primária do Alto da Fontinha, procurando progressivamente dar resposta às necessidades reais locais, da alfabetização ao apoio educativo, passando pela música, pintura, xadrez, ioga, capoeira, etc., proporcionando um lugar de convívio, com cozinha comunitária, cicloficina, biblioteca, acesso à internet, teatro, cinema.

Passaram-se sete meses desde a reocupação e a Câmara Municipal do Porto não moveu qualquer tentativa de aproximação ao projecto e ao bairro. Ignorou, inclusive, a assinatura do contrato de cedência, apesar do Es.Col.A ter cumprido os requisitos, nos prazos estipulados. Eis senão quando se torna pública a intenção da autarquia de despejar o Es.Col.A no final de março, destruindo, desta forma, todo o trabalho comunitário que o projeto vem desenvolvendo.

Perante a intenção da Câmara Municipal do Porto, caracterizada pelo desprezo e pela distância em relação às pessoas, ao próprio projeto e à cidade que deveria servir, resta-nos dizer que não aceitamos a legitimidade do despejo anunciado. O Es.Col.A. pretende continuar a ocupar o espaço e a desenvolver as atividades que tem em curso, mantendo o princípio de estrutura independente, longe de lógicas partidárias e comerciais, autogerido e absolutamente autossustentável, livre de hierarquias e com decisões tomadas por consenso em assembleia, que o define desde o início.

SEJA BEM VINDO QUEM VIER POR BEM!

Es.Col.A. do Alto da Fontinha

Rua da Fábrica Social, 17
Linkescoladafontinha.blogspot.com
es.col.a.da.fontinha@gmail.com


Porto, 14 de fevereiro de 2012

resumo da 34ª assembleia


A 34ª assembleia, dia 14 de fevereiro, foi bastante concorrida e, apesar de extensa, caracterizou-se pela objetividade dos assuntos abordados e das estratégias definidas.

A discussão iniciou-se com a apresentação das novas propostas. No âmbito do projeto de final de curso, um aluno da escola artística Soares dos Reis propôs produzir um filme de ficção sobre o Es.Col.A, e colaborar também na produção do documentário acerca da história do Es.Col.A. e no registo fotográfico das atividades. Ficou marcada uma oficina de manufatura de sabão e detergentes ecológicos/naturais para a tarde de 3 de março. Haverá uma semana dedicada à capoeira com datas ainda a definir. A associação sem fins lucrativos CulturDoc manifestou a sua solidariedade com o Es.Col.A e disponibilizou-se para ceder material e ajudar nas filmagens. A associação Crescer-Ser, que tinha enviado uma proposta de colaboração, não esteve presente, mas ficou decidido que se responderia ao seu apelo referindo a disponibilidade do Es.Col.A em contribuir no que estiver ao seu alcance. Outras possibilidades são uma oficina de teatro para crianças e jovens e intervenções musicais.

A assembleia popular também ficou agendada para dia 3 de março às 16h, no pátio do Es.Col.A. Haverá merenda para saciar as mentes efervescentes.

Findas estas apresentações, prosseguiu-se com a leitura da proposta de carta aberta. Após serem sugeridas algumas alterações, ficou combinado que os interessados juntar-se-iam no final da assembleia para ultimar a versão final.

De seguida falou-se na definição das estratégias a usar, tendo em vista a continuidade do projeto. Dessa conversa resultaram as seguintes ideias: criação de uma fototeca do Es.Col.A; arranjo musical do hino do Es.Col.A. da Fontinha; atividades de serigrafia; mural a ilustrar a história do Es.Col.A; mobilização do bairro e incentivo às expressões de solidariedade; circulação de uma petição; divulgação da carta aberta; festejos de Carnaval com desfile no dia 20 de Fevereiro. Outras opções serão ainda consideradas.

De forma a consolidar as estratégias propostas, tornou-se necessário a formação de grupos. Alguns já existem mas necessitam de maior dinamização e coordenação. Outros serão formados de raiz, o que implica uma maior participação de todos os membros do coletivo.

Perante o contexto atual do Es.Col.A. foi novamente analisada a postura a adotar com os meios de comunicação corporativos. Após uma breve troca de ideias, decidiu-se, por consenso, manter a mesma estratégia de comunicação.

No final da assembleia, o coletivo reforçou as energias com uma bela refeição e começou a organizar-se com base no que tinha acabado de ser definido na assembleia.

quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2012

o coração na fontinha, a fontinha no coração



pimp-my-bike


sábado, 18 de Fevereiro - 16-20h (ao mesmo tempo que a cicloficina)

Este sábado é a primeira sessão do Pimp-my-bike! Vamos construir malas para bicicletas com materiais reciclados. Traz ideias, bolsas plásticas, pacotes de sumo/café, malas antigas e a tua bicicleta!

O Espaço Re-constrói é uma oficina de reciclagem onde em conjunto pequenos e graúdos fazem diferentes construções. Juntos vamos experimentar criar novas coisas, usando o que geralmente é considerado "lixo".

re-cicla! re-constrói! re-utiliza! re-cria!!!



CALENDÁRIO Espaço Re-constrói!

sábado - 18 fevereiro
Pimp-my-bike!
Fazer malas de bicicletas durante a Ciclocozinha

terça - 21 fevereiro
Carnaval com bigodes, perucas, chapéus & confetti molotov...

terça - 28 fev construir com natural legos

terça - 6 março joias para tod@s

carnaval na Fontinha


segunda-feira, 20 de Fevereiro - 18h00

Na fontinha não há rei nem rainha, mas o "adeus à carne" será celebrado no bairro com pompa e circunstância!
O cortejo carnavalesco sairá do Es.Col.A na segunda (dia 20) pelas 18h! E, como a tradição ainda é o que era, vamos queimar o judas!!!!!!

Aparece! Disfarça-te ou revela-te... e traz outro amigo também!

quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2012

o que se vai vendo pela Es.Col.A.


é que também as crianças não aceitam as aparentes intenções da "cambara"







terça-feira, 14 de Fevereiro de 2012

cinema + jantar à quinta feira: a sociedade do espectáculo


quinta-feira, 16 de fevereiro 20h30 (jantar seguido de filme)

A sociedade do espectáculo - Guy Debord, 1973 (83")
(francês, legendado em português)

"Se a novelle vague subverteu a linguagem, 68 transgrediu seus limites. A radical dissociação da imagem e som, a provocação e o jogo selam o total rompimento com a narrativa tradicional hegemônica. Há, porém, um precursor, que já fazia filmes com este radicalismo desde os anos 50. Um autoproclamado doutor em nada, o mais maldito entre os pensadores do século XX, que publicara em 67 um dos textos que mais influenciaram maio de 68, A sociedade do espetáculo.

Guy Debord via a sociedade atual como uma sucessão de espetáculos. Um mundo mediado por imagens, onde o real já não é diretamente apreensível. O homem passa a viver um presente perpétuo, no qual a sucessão histórica é suspensa – substituída pela sucessão de imagens. O capitalismo chegara a tal grau de evolução que controlava o tempo livre dos trabalhadores, reificando valores consumistas. Este controle se dá fundamentalmente pela imagem, que substitui o real por sua representação, com o filtro de valores da classe que detêm os meios de produção da imagem, esta já também alienada pelo próprio mecanismo que criou. Através da imagem “espetacularizada”, os trabalhadores incorporam os valores da burguesia, ansiando por seus padrões de consumo. O espetáculo é “o auto-retrato do poder na época de sua gestão totalitária das condições de existência.” “O espetáculo não canta o poder e suas armas, mas a mercadoria e suas paixões.”

Último exemplo de radical romântico, da estirpe de Baudelaire e Rimbaud, Debord habita até hoje as mentes de jovens radicais. Coerente com suas idéias, fugiu a todo e qualquer comprometimento com a sociedade que negava, alimentando sua fama de maldito. Subverteu a noção de autoria aproveitando-se da ideia de détournement (desvio), “esta técnica de reaproveitamento que remonta, por um lado, à colagem dadaísta e, por outro, às citações deformadas adotadas por Marx e Lautréamont”. Détournement “habitualmente pode ser traduzido por desvio, mas também significa subtração (ou sequestro, apropriação) e distanciamento.” Debord se utiliza desta técnica para a escrita de seus textos e também para a realização de seu cinema. Apropria-se de imagens de outros filmes subvertendo-lhes o sentido. A publicidade, o cinema documental e as grandes produções cinematográficas são, assim, sequestradas de seu significado original para constituir um discurso antissistêmico.

Debord procurou quebrar todos os lastros estabelecidos da cultura burguesa. Levou ao extremo a negação da cultura midiática através da provocação e reflexão, rompendo qualquer lógica de sedução da imagem. Defendia um novo conceito de arte, anticapitalista, radical e sem concessões, que não separa a arte da vida, introduzindo uma série de conceitos que serão fundamentais para a compreensão do cinema nos anos 60. Frente à racionalidade instrumental e à mercantilização do mundo, as formas artísticas são retiradas “do repertório da festa, do jogo, da poesia, da libertação da palavra.” Negava a idéia de arte eternizada, estandardizada, e defende uma arte que amplie a vida ao invés de traduzi-la. “O segredo e o poder das teorias situacionistas da década de 60 explica-se por tentar associar o conteúdo da nova revolução, anunciada pela arte, aos meios práticos de sua realização.”

Entre as atividades que exerceu, a que mais lhe seduziu foi o cinema, o qual considerava seu verdadeiro ofício. Realizou desde os anos 50 alguns filmes, que influenciarão muitos cineastas, entre eles Godard, levando-os a ultrapassar as barreiras da linguagem tradicional, chegando aos limites do experimento. O radicalismo do grupo Vertov soa como um tímido détournement das experiências de Debord. É bom lembrar que, enquanto Godard foi assimilado e aplaudido pela elite que pretendia atacar, Debord se manteve marginal (nos diversos sentidos que esta palavra possa carregar). Frente à cultura burguesa, Godard era um provocador, Debord, um terrorista."

segunda-feira, 13 de Fevereiro de 2012

34ª assembleia


terça, 14 de Fevereiro 18h30

Face à recente intenção da CMP, o Es.Col.A apela à colaboração de todos os que acreditam no projeto.

Proposta para a ordem de trabalhos

- aprovação da proposta de manifesto: A ES.COL.A. É NOSSA!
- definição de estratégias perante a possibilidade de despejo.

- novas atividades.
- proposta de reportagem sobre espaços auto-geridos - jornal i.
- colaboração com a Associação Portuguesa para o Direito dos Menores e da Família – Crescer Ser.
- visita à Escola da Ponte.

resumo da 33ª assembleia


Os tempos de indefinição voltaram à Fontinha. A 7 de Fevereiro, à hora habitual, meia centena de pessoas marcaram presença no Es.Col.A. O ambiente fazia lembrar as mais participadas assembleias, ainda no Largo.

Sendo esta uma assembleia muito importante para o futuro do projeto, com uma ordem de trabalhos submetida quase na totalidade à discussão da intenção de despejo pela Câmara, foi notória a presença de novos elementos, dos quais dois se apresentaram como membros da comunicação social. Tal facto originou uma proposta, prévia à discussão da ordem de trabalhos, sobre a legitimidade da presença dos jornalistas. Foi, então, decidido que teriam de se ausentar, com o compromisso de lhes ser serem comunicadas as principais conclusões.


Antes de se entrar no tema central, foi apresentado um projeto relacionado com mobilidade urbana sustentável, consistindo na realização de uma sessão de trabalho no edifício do Es.Col.A. O evento ficou marcado para sábado, dia 11, a partir das 14h. Este momento foi aproveitado por uma pessoa presente que se disponibilizou para auxiliar nas tarefas do apoio educativo,tendo inclusivamente apresentado ideias novas para apoiar as crianças e suas famílias.


Iniciou-se então a discussão de que toda a gente estava à espera, tendo-se começado pela leitura da carta com a intenção de despejo enviada pela Câmara Municipal que indirectamente nos veio chegar às mãos. As intervenções foram chegando em catadupa, sobressaindo no final um sentimento misto de indignação e surpresa, mas com a firme vontade de não ceder perante as adversidades que desde sempre foram colocadas por parte do poder autárquico.


A vontade geral manifestou a necessidade de preparar uma reação formal da parte do coletivo, com os objetivos de desmascarar a falsa argumentação do município e fundamentar a legitimidade da continuação do Es.Col.A. na Fontinha. Assim, foi criado um grupo de trabalho que vai preparar um texto a ser apresentado na próxima assembleia. Ao mesmo tempo poderão ter lugar vários tipos de ações espontâneas de defesa e promoção do Es.Col.A., que possam captar o maior apoio popular possível.


Entretanto o sonho continua e o Es.Col.A. mantém todas as suas atividades e eventos com uma dinâmica mais resistente. Se o futuro próximo traz grandes desafios e dificuldades, a resposta terá de passar por um espírito cada vez mais comunitário, que envolva as diferentes competências numa vontade única: A EsColA é do bairro e para o bairro.

sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012

cicloficina DIY na Es.Col.A.


todos os sábados, 17h00 - 21h00



Amanhã tal como todos os sábados é dia de cicloficina com cheiro a cozinha e sempre com espírito faz tu mesmo!
Vem participar, repara a tua bicicleta ou a de outros, ensina, aprende e ajuda a cozinhar novas ideias para novos projectos.


Amanhã especialmente, das 14h00 às 21h00, decorre também no espaço Es.Col.A. a sessão de trabalho sobre bicicletas e mobilidade urbana

quinta-feira, 9 de Fevereiro de 2012

pintura artística da escadaria do edifício do Es.Col.A.


todas as quartas-feiras, 18h30 - Círculo de Estudos Artísticos

Depois da pintura de um mural na festa de Natal, fez-nos toda a lógica, continuar a alimentar de vida as paredes daquela escola outrora abandonada! Trata-se de transformar a velha, pálida e suja tinta verde, numa série de retratos dispostos pela escadaria do edifício, construídos colectivamente com os gostos e conhecimentos artísticos de todos, que sejam reflexo do espírito solidário e comunitário que se vive naquele espaço.


Estas pinturas são obviamente abertas a todos que estejam interessados em participar. E um dos pontos mais importantes, deste processo de construção colectiva, é a partilha livre da imaginação, criatividade e das experiências e conhecimentos das artes de cada um de nós.

As escadarias do edifício da Es.Col.A. continuam, e vão continuar sempre a ganhar vida!
Aparece lá e vem participar.

quarta-feira, 8 de Fevereiro de 2012

sessão de trabalho sobre utilização urbana da bicicleta


sábado, 11 Fevereiro 14h00

Na continuação do trabalho iniciado no blog 1penoporto vai ser desenvolvida uma sessão de trabalho para a co-criação de soluções para estimular e facilitar a utilização da bicicleta como meio de transporte na cidade do Porto.

Pensar o uso da bicicleta na cidade como estímulo para a economia local, comércio tradicional, novos serviços ou modelos de negócio, catalizador de novas formas de vivência e ocupação do espaço urbano, assim como melhoria da qualidade ambiental.


Objectivo: através de estratégias e ferramentas de co-design desenvolver propostas para o uso da bicicleta no Porto.

Sessão aberta a todos com participação de 10 ciclistas urbanos da cidade do Porto com formação e experiências diversas.

segunda-feira, 6 de Fevereiro de 2012

cinema: end:civ + jantar


quinta-feira, 9 fevereiro 20.00 - 21.30 (jantar seguido de filme)

End:Civ - Franklin López (75'')
Inglês (legendado em português)


"Ao longo de uma paisagem devastada, de imagens que nos transportam das rotinas do nosso quotidiano até aos nossos mais temíveis pesadelos, faz-se um exame das causas e consequências da devastação ambiental e destruição animal que impera hoje no nosso mundo.

A partir de algumas das premissas do livro "Endgame" de Derrick Jensen, End:Civ é um documentário que procura perpassar, utilizando diversas narrativas, os mais diferentes aspectos de uma cultura ecocída e genocída, que não olha a meios para atingir os fins, ainda que esses meios sejam por si mesmo suicídas.

Nesse percurso, faz-se uma análise da forma como os diversos recursos naturais são consumidos, deixando para trás uma paisagem de desolação, a forma como a violência sistematizada e institucionalizada é utilizada, destruindo paisagens e outras culturas, e a forma como podemos resistir a essa cultura civilizacional de morte. "

33ª assembleia


terça, 7 de fevereiro 18h30

Esta semana chegou-nos às mãos de forma indirecta uma carta da CMP a comunicar o término da cedência da Escola da Fontinha. Neste contexto esta assembleia será bastante importante para o futuro do Es.Col.A., pois é necessário discutir quais as medidas a tomar em defesa do nosso projeto.
Aparece!

espaço "re-constroi" sessão #2


terças-feiras das 15h às 19h e alguns sábados durante a ciclocozinha (pimp-my-bike)

O Espaço Re-constrói vai continuar esta semana com a construção do teatro para os Fantoches da Fontinha. Espaço Re-constrói é uma oficina de reciclagem onde fazemos diferentes construções com pequenos e graúdos, todos em conjunto.Todas as vezes podes participar num projeto especial, mas também há espaço para trazeres materiais e ideias para construções. Juntos vamos experimentar construir novas coisas, usando o considerado "lixo" dando-lhe uma nova vida: brincos, utensílios ou peças de arte.

re-cicla! re-constrói! re-utiliza! re-cria!!!

CALENDÁRIO ESPAÇO RE-CONSTRÓI:

terça 7 fevereiro

fantoches da Fontinha e teatro

sábado 18 fevereiro
Pimp-my-bike! Fazer malas de bicicletas durante a cicloficina (traz lonas, sacos de plástico, embalagens de café e bicicleta)

terça 21 fevereiro
Carnaval com bigodes, perucas, chapéus e confetti molotov

terça 28 fevereiro
construir com legos naturais

quinta-feira, 2 de Fevereiro de 2012

resumo da 32ª assembleia


Devido à existência de alguns conflitos entre elementos mais jovens que frequentam o Es.Col.A. reforçou-se a ideia de haver mais intervenção e menos tolerância perante situações desrespeitosas e intimidatórias. A assembleia considerou também que a responsabilidade coletiva e o fortalecimento das relações são aspetos fundamentais para o funcionamento do quotidiano do projecto.

A seguir falou-se das limpezas e arrumações. Existe uma sala que atualmente se encontra ocupada com brinquedos e uma mesa de pingue-pongue, o que faz com que seja necessário conciliar muito bem a utilização deste espaço. Para além disso, o chão desta sala encontra-se bastante deteriorado. Imediatamente surgiram propostas para colocar um chão novo e ficou-se de estudar a melhor hipótese. Para terminar este ponto foi aprovada a recriação de um dia semanal para limpezas e arrumações, a ter início já no sábado.

O próximo jantar temático irá ser realizado no dia 30 de Janeiro. Desta vez será contextualizado pela projeção e discussão do documentário A Traição pela Técnica, de Jacques Ellul.

Em relação às propostas de atividades foi anunciado que já foi atribuído ao Es.Col.A. um talhão na Quinta Musas da Fontinha para o projeto de criação de uma horta. No dia 31 de Janeiro terá início a oficina de reciclagem e para breve será a vez de um ateliê de formação musical. O Espaço Musas deseja criar uma equipa de futebol de salão e apelou à participação de eventuais interessados.

O grupo de comunicação tem tido maiores dificuldades no seu funcionamento devido ao escasso número dos seus elementos, por isso lançou um repto de angariação de novos voluntários que para já foi aceite por duas das pessoas presentes.

Reafirmou-se a necessidade de os organizadores de atividades possuírem chaves do edifício e respectivas salas. Para finalizar, foi recusada a proposta de entrevista da parte de um órgão de comunicação, com base numa anterior decisão tomada em assembleia.

searas de canto cantaram as janeiras


Foi assim que se cantaram as janeiras na Fontinha, os ensaios das Searas de Canto continuam, todas as segundas a partir das 20h00.

Tragam propostas de músicas e vontade de cantar...

oficina de video e audio em software livre


sábado, 4 de fevereiro 15h30
Sessão de trabalho video-audio em software livre e integração das especificações técnicas entre kdenlive e ardour.

hacklaviva.net